TiaLu: Paraibano cria aplicativo para aliar a tecnologia no combate à violência contra a população LGBT - Paraíba Feminina

Breaking

terça-feira, 2 de julho de 2019

TiaLu: Paraibano cria aplicativo para aliar a tecnologia no combate à violência contra a população LGBT



A cada 16 horas, o Brasil registra uma morte por LGBTfobia. São números que colocam o país num dos lugares mais perigosos do mundo para a população LGBT. Diante desse quadro de violência, com o desmonte das políticas púbicas de enfrentamento à LGBTfobia e dentro de um contexto de conservadorismo extremo que cresce cada vez mais, foi criado o aplicativo TiaLu.

De acordo com Dhell Felix, coordenador da Rede Gay do Brasil na Paraíba criador do app, a ideia surgiu durante uma conversa sobre essa violência e a necessidade de ter uma ferramenta de proteção, onde uma pessoa pudesse proteger a outra. “O principal objetivo do TiaLu é proteger pessoas em situação de risco”, afirmou.

O aplicativo funciona de forma bem simples. Depois de baixado, o usuário cadastra duas pessoas de sua confiança. Quando se sentir em situação de perigo, é só apertar um botão e essas duas pessoas cadastradas irão receber a mensagem de socorro junto com a localização da vítima.

O TiaLu recebeu o apoio institucional da Prefeitura de João Pessoa, por meio da Coordenadoria de Promoção à Cidadania LGBT e Igualdade Racial, mas os recursos para desenvolver o aplicativo partiram do bolso dos integrantes do Rede Gay do Brasil.

E é por isso que só a primeira fase do aplicativo está em funcionamento. Por enquanto ele está disponível apenas para Android. “A plataforma IOS é mais cara, e nós não temos esse dinheiro ainda, mas a expectativa é que as parcerias que estamos construindo possam financiar essa expansão”, disse Dhell.

Mês passado o aplicativo foi lançado em São Paulo, e o grupo conseguiu o apoio de um grupo de advogados que se interessaram pelo projeto.

Dhell Félix (de camisa vermelha) no lançamento do aplicativo em São Paulo


Lançado em 27 de maio, o TiaLu vai esperar o período de incubação para – 60 dias – e a partir daí, fazer um levantamento de quantas pessoas acessaram, quantas vezes o aplicativo foi utilizado e de quais localidades. Futuramente, o app pode desenvolver um banco de dados que poderá ser usado como ferramenta de políticas públicas nos locais de maior incidência de violência.

Homenagem a Luciano Bezerra

O aplicativo ‘TiaLu’ recebeu este nome em homenagem a Luciano Bezerra, um dos maiores representantes da causa LGBT na Paraíba e também fundador da ONG Movimento do Espírito Lilás (MEL), que faleceu em dezembro de 2018.

Taty Valéria

Nenhum comentário:

Postar um comentário