A pandemia bolsonarista, o genocídio do trabalhador brasileiro e os exemplos solidários de outros países - Paraíba Feminina

Breaking

segunda-feira, 23 de março de 2020

A pandemia bolsonarista, o genocídio do trabalhador brasileiro e os exemplos solidários de outros países

Na Dinamarca, o governo vai bancar 75% dos salários dos empregados de empresas privadas.

A França prometeu US$ 50 bilhões em ajuda para empresas afetadas por coronavírus.

No Canadá, o pacote econômico de resposta aos impactos da covid-19 de 82 bilhões de dólares canadenses deve chegar aos cidadãos e empresas em no máximo duas ou três semanas.

E até o Donald Trump, vejam bem, já anunciou que irá destinar uma 'bolsa-auxilio' de U$ 1 mil para cada cidadão que esteja em situação de vulnerabilidade social e econômica.

Aqui no Brasil, o presidente assinou uma medida provisória permitindo que contratos de trabalho e salários sejam suspensos por até quatro meses durante o período de calamidade pública. Como se trata de uma medida provisória, o texto passa a valer imediatamente, mas ainda precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional no prazo de até 120 dias para não perder a validade. A MP está aqui, na íntegra.

Selecionamos os trechos mais escabrosos dessa MP:


  • o empregador não precisará pagar salário no período de suspensão contratual, mas "poderá conceder ao empregado ajuda compensatória mensal" com valor negociado entre as partes;
  • a suspensão dos contratos não dependerá de acordo ou convenção coletiva, mas poderá ser feito de forma individual ou coletiva;
  • acordos individuais entre patrões e empregados estarão acima das leis trabalhistas.

Ou seja...

A eleição do presidente Jair Bolsonaro é uma pandemia por si só. O vírus da ignorância, da desinformação e da bestialidade crônica já tomam conta do Brasil faz um tempo. Desde que o covid-19 começou a se espalhar pelo mundo, esperamos sentados, e rindo dos memes, que se tome alguma medida efetiva de controle sanitário. Isso só começou a acontecer por força dos governadores, que receberam críticas do presidente adoentado.

Os casos estão aumentando em progressão geométrica. Algumas pessoas não se conscientizaram da gravidade da situação (em grande parte pelas palavras e atitudes do seu Jair), não temos mais como saber quem está, ou não, doente, as secretarias de saúde de todo o país não possuem estrutura pra tantos testes em tantos casos suspeitos e as pessoas estão presas em casa em estado de quase pânico.

Muita coisa poderia ter sido feita antes. Medidas de contingenciamento e de barreiras sanitárias, conscientização em massa. Agora o governo corre atrás de piorar uma situação que já está totalmente fora de controle. Se uma das maiores preocupações, até então, eram com os trabalhadores autônomos, agora já contamos com quem tinha uma mínima garantia de salário e de sustento.

Em resumo: tudo que já estava ruim, tende a piorar mais.

da redação

Nenhum comentário:

Postar um comentário