Morte de mulheres com suspeita de coronavírus levanta debate sobre a pandemia no Sertão - Paraíba Feminina

Breaking

terça-feira, 31 de março de 2020

Morte de mulheres com suspeita de coronavírus levanta debate sobre a pandemia no Sertão


A morte de duas mulheres em um hospital na cidade de Pombal, no Sertão da Paraíba, está sendo motivo de debate e preocupação no interior do Estado. As duas faleceram ontem (30) com suspeita de infecção pelo coronavírus.

Até o mento 12 mortes estão sendo investigadas suspeita de coronavírus na Paraíba. Sem essas confirmações e com todo o déficit que já citamos aqui como a falta de testes, as subnotificações, dentre outros, a Paraíba até o momento não tem nenhuma morte confirmada pela Secretaria de Saúde.

Já são 367 casos descartados da doença e muitas outras mortes relacionadas a doenças respiratórias têm sido registradas a todo momento, mas sem confirmação de ser coronavírus.

“Temos muitos casos de outras doenças respiratórias no período, também temos muitos casos de arboviroses, como dengue, zika e chikungunya, tudo isso contribui para o aumento do número de casos suspeitos e consequentemente de casos descartados”, comentou o secretário Geraldo Medeiros em entrevista ao G1.

As duas mortes descartadas eram as que faltavam ser investigadas entre os casos que tinham sido notificados como mortes suspeitas por Covid-19. Antes, outras quatro mortes foram descartadas para coronavírus. Na última terça-feira (24) exames descartaram que as mortes de três pacientes da Paraíba tenham sido causadas pelo novo coronavírus. Na quinta-feira (26), mais uma morte que estava sendo investigada como suspeita do coronavírus também foi descartada.

A morte de Quézia Leite Batista, de 34 anos, servidora pública que trabalhava na maternidade Frei Damião, em João Pessoa, descartada para Covid-19 segue sob investigação. De acordo com a SES, apesar da coleta e do resultado obtido no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen-PB), uma amostra foi enviada para o Instituto Evandro Chagas.

Ainda de acordo com a SES, a amostra foi enviada ao mesmo tempo em que era analisada no Lacen-PB. Como não houve um diagnóstico preciso da causa da morte dela, a amostra foi enviada para o Pará.

Da Redação, com o G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário