As absurdas e impensadas nuances por trás da reabertura do comércio na Paraíba - Paraíba Feminina

Breaking

segunda-feira, 29 de junho de 2020

As absurdas e impensadas nuances por trás da reabertura do comércio na Paraíba



A Paraíba discute desde o final de semana, a reabertura de shoppings e lojas.

Em Campina Grande, o Partage Shopping, maior da cidade, enviou comunicado afirmando que abriria nesta segunda-feira (29) "seguindo todas as normas de segurança". Em Patos, foi publicado hoje um decreto com a flexibilização para os Shoppings Centers e Galerias a partir do dia 06 de Julho. Em João Pessoa, a contenda entre abrir uma parte do Manaíra Shopping ainda está em discussão.

Dividido entre duas cidades, João Pessoa e Cabedelo, o shopping pretende abrir mais de 70 lojas e nove âncoras a partir do dia 1º de julho, próxima quarta-feira. Essa decisão parte do decreto de flexibilização divulgado pela prefeitura de Cabedelo.

Ainda na tarde de ontem, (28), o Ministério Público da Paraíba emitiu uma recomendação para que o shopping não reabra. A prefeitura de Cabedelo tem 24 horas, a partir da notificação, para comunicar se irá aderir a recomendação. O prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo, afirmou extra oficialmente que não vai seguir a recomendação do MPPB.

 Enquanto essa peleja não se resolve, alguns questionamentos ficam no ar. Em conversa com vendedores e funcionários do shopping, que obviamente não quiseram se identificar, algumas preocupações pertinentes: Como ir ao trabalho se os ônibus ainda não estão circulando? Quem vai cuidar dos filhos das funcionárias, já que escolas e creches não estão funcionando? Alguém pensou nisso?

Até o último sábado (27), 40 moradores de Cabedelo foram internados em um dos hospitais de referência, todos em João Pessoa. A taxa de isolamento no estado está em 40%, muito abaixo dos 70% recomendados pela OMS. Abrir shoppings nem deveria estar na pauta. A economia importa? Sim, e muito. Mas pessoas doentes e mortas não fazem compras. Nos estados em que o comércio foi reaberto não havia consumidores, o número de contaminados deu um salto, e foi preciso fechar tudo novamente.

O fato de construir um shopping bem em cima de um rio que divide dois municípios, e usar isso para reabrir só uma parte das lojas, já é uma aberração.

As lojas podem até ser de Cabedelo, mas os doentes são tratados na Capital. Prefeitura de Cabedelo - Manaíra Shopping - briga judicial contra construção de shopping em Intermares: é só ligar os pontinhos. Mas no final, deve ser só coincidência, não é mesmo?

Taty Valéria

Nenhum comentário:

Postar um comentário