O Brasil zomba das mulheres! Acusado de esquartejar ex e dar para os cachorros, goleiro Bruno vira garoto propaganda de canil - Paraíba Feminina

Breaking

quinta-feira, 25 de junho de 2020

O Brasil zomba das mulheres! Acusado de esquartejar ex e dar para os cachorros, goleiro Bruno vira garoto propaganda de canil


O Brasil, definitivamente, se tornou o país dos absurdos. O 'novo normal', conceito que apareceu por conta do coronavírus, ganhou um significado que lembra mais o absurdo. O inverosímel, a aberração, o equivocado... é como se tudo isso agora entrasse na categoria do 'novo normal'.

Pra quem não lembra, o goleiro Bruno jogava pelo Flamengo e foi condenado por ser mandante do assassinato de Eliza Samúdio. Ela tinha acabado de ter um filho que o goleiro não queria assumir. O corpo nunca foi encontrado e a suspeita macabra é que seus restos mortais foram jogados aos cachorros. Preso em setembro de 2010 e condenado em março de 2013 a 20 anos e 9 meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, Bruno agora cumpre a pena em regime semi aberto.

De volta aos campos, não tardou em procurar outras fontes de renda. E assim, tendo que se adaptar ao 'novo normal', Bruno se tornou garoto propagando de um canil. A imagem dele segurando dois cachorros causa enjoo.

No anúncio, Bruno diz que teve “o grande prazer de conhecer um canil incrível”, da mesma raça do seu cachorro Booba, da raça American Bully. Ainda na mensagem, o ex-atleta agradeceu o canil Friendes Bull Kennel pela receptividade e parabenizou pelos lindos animais que lá estão.


Nos cometários da publicação, algumas piadas, muita crítica, e sim, muito apoio. Inclusive do próprio canil: "@friendsbullkennel O prazer foi todo nosso!!!Obg pelo carinho.Sua família é nota 10!".

É até irônico parabenizar o goleiro pela família nota 10. Desde que entrou em regime semi aberto, ele não viu as filhas Bruna, hoje com 14 anos, e Maria Eduarda, de 9. Fora o filho de Eliza Samúdio, que ele manteve sequestrado enquanto o assassinato e ocultação do corpo de Eliza era "providenciado".

Bruno nunca se divorciou legalmente da primeira esposa, mãe de suas filhas mais velhas. No presídio, realizou uma cerimônia religiosa com outra mulher, e teve mais uma filha. Contamos essa história, releia aqui.

O Brasil, senhoras e senhores, ri e zomba das mulheres. Esse 'normal' até já existia, mas não existe nada tão ruim que não possa ser piorado.

Taty Valéria

Nenhum comentário:

Postar um comentário